×

USP | Paralisação 20/09: como seguir a luta?

Ontem(20) aconteceu uma paralisação importante na universidade em defesa de melhores condições de vida para os estudantes do Crusp. Por negligência da reitoria, moradores do Bloco F ficaram mais de um mês sem acesso, escancarando o caráter de classe e o racismo na universidade.

quarta-feira 21 de setembro | Edição do dia

Como é possível que numa das universidades que mais produz pesquisa no mundo, estudantes estejam tendo que lidar com noites sem água?

Saiba mais: Estudantes paralisam na USP por falta de água em moradia estudantil

Temos 5 propostas de como seguir a mobilização:

1) A USP não é uma bolha. São anos de um processo de desmonte e precarização na universidade que se aprofundou no governo Bolsonaro, que odeia os estudantes. No caso das estaduais paulistas, esse desmantelamento é fruto do projeto do PSDB pra educação, encabeçado durante anos por Alckmin, atual vice de Lula. Não tem como pensar nossa luta aqui por fora de ver que faltam menos de duas semanas para as eleições e o que vemos é que a nível nacional existe uma passividade enorme fruto da política das direções estudantis e sindicais do PT e PCdoB de alimentar ilusões de que a eleição vai resolver nossos problemas, ao lado daqueles que são responsáveis pela situação que estamos hoje, não vai.

2) Pra seguir a mobilização, precisamos de um novo espaço de organização: o DCE precisa chamar uma nova assembleia geral o quanto antes pra que possamos coletivamente debater os próximos passos!

3) No curso de Letras, nós da Faísca propusemos na última assembleia um comitê que hoje reúne dezenas de estudantes. Achamos que isso tem que acontecer em todos os cursos para seguirmos organizando a luta

4) Nossa luta é pelo imediato retorno sem instabilidade da água em todos os blocos do Crusp, mas ela não pode parar aí. Nós exigimos mais verbas para a educação e a abertura imediata do livro de contas da universidade, para sabermos pra onde vai o dinheiro da USP. Exigimos moradia estudantil para toda a demanda e bolsas de no mínimo um salário mínimo!

5) Pra seguir a mobilização precisamos unificar as pautas com os 3 setores da universidade. Se os trabalhadores e professores paralisam, a universidade não funciona. Nossa luta é em defesa do reajuste salarial e contra a desvinculação do HRAC, por contratação de professores e funcionários via USP!

Paralisação HRAC | A luta em defesa do Centrinho-USP é de todos nós!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias